I do what I can

Random thoughts from Mauricio Teixeira…

Posts Tagged ‘tecnologia

App Saldo Ticket (infelizmente) removida do Google Play

with 15 comments

Segurei essa informação o máximo que pude, pois ainda não desisti de lutar.

Resumo: a app Saldo Ticket foi removida do Google Play a pedido da Edenred, proprietária do Ticket Restaurante. Eu aceito isso, mas ainda não me dei por vencido, e estou batalhando para reverter a situação, mas não sei se e nem quando isso vai acontecer.

Informação adicional: a Edenred modificou o site e a forma como é feita a consulta. Isso significa que a última versão da app ainda instalada deixou de funcionar. O que é uma pena, pois mesmo que ela tenha sido removida, eu ainda tinha a esperança que as pessoas pudessem ao menos continuar utilizando o que já estava instalado.

Por favor, continue lendo para entender os detalhes.

No dia 06/Ago recebi uma notificação do Google informando que a aplicação Saldo Ticket havia sido removida pois, alegadamente, ela caracterizava uso abusivo de sites de terceiros. No mesmo dia apelei da decisão, argumentando que não seria uso abusivo por tratar-se de informação pública, disponibilizada pela própria empresa através do seu web site. No dia seguinte recebi uma resposta informando que além do uso abusivo tratava-se também de “personificação”, ou seja, alegadamente eu estaria me fingindo ser a empresa, ou deixando a entender que eu tinha o aval da mesma para fazer o que estava fazendo. Acredite se quiser, a mensagem veio acompanhada de um solene “esta decisão é final e não iremos responder a qualquer outra mensagem sobre esse assunto”.

Essa última mensagem do Google foi a confirmação do que eu já suspeitava: foi a própria Edenred/Ticket quem pediu a remoção da aplicação. Assim sendo, fiz uma pesquisa, perguntas aqui e ali, e consegui ser contactado por uma pessoa da empresa (vou omitir o nome e o cargo, pois acho que isso não vem ao caso). Há alguns dias estamos trocando mensagens, e não vejo necessidade de detalhar a nossa conversa, mas vou apontar a parte mais importante.

De acordo com essa pessoa, a Edenred França (empresa-mãe) possui uma política global de proibir o desenvolvimento desse tipo de aplicações por terceiros, alegando não ter como validar o desenvolvimento e garantir a segurança dos dados trafegados, principalmente no que diz respeito aos número dos cartões. OK, eu entendo que existem políticas corporativas e que elas devem ser seguidas, mas eu posso facilmente rebater essa alegação com os seguintes argumentos:

  1. O próprio site da Edenred/Ticket não apresenta nenhum tipo de segurança no tráfego dos dados. Qualquer pessoa pode consultar o saldo e o extrato de qualquer cartão, não precisa nem ter senha para acessar esse tipo de informação. E pra piorar, os dados são trafegados entre o navegador do usuário e o servidor web sem nenhum tipo de encriptação, ou seja, se você estiver consultando essa informação em uma rede pública (ou alguma vez fez isso) seus dados estão lá, vazando pra quem quiser ler. Quer argumentar que a minha aplicação não apresenta segurança? Ué, ela faz exatamente a mesma coisa que o site faz.
  2. A preocupação é de que eu esteja coletando números? Com certeza eu não estou. Mas se estivesse, o que eu faria com isso? O único jeito de usar o cartão é com a senha, e em momento algum a aplicação pede a senha de ninguém.
  3. A preocupação é auditoria? Querem ter certeza de que a aplicação faz o que ela diz, e que não tem nada escondido por trás disso? Problema resolvido: a aplicação é Open Source, e licenciada sob GPLv3. Isso significa que o código fonte está livremente disponível na internet, e pode ser auditado/validado a qualquer momento, por quem quiser, inclusive a própria Edenred. E isso eu nunca escondi. Essa informação sempre esteve disponível e claramente informada na descrição da aplicação no Google Play. (Leitura complementar interessante: “10 Reasons Open Source Is Good For Business“)

Agora, vamos fazer um exercício de imaginação. Eu sei que a esse ponto alguém deve estar se perguntando “eles estão eliminando a concorrência, e vão lançar a própria app”. Será? Eu levei 2 dias para desenvolver a minha. Se somar todas as horas de trabalho do primeiro release, mais algumas modificações posteriores, duvido que eu tenha gastado mais de 100 horas de trabalho pra fazer isso. Quantas horas um funcionário CLT tem que trabalhar em um mês? Em São Paulo um profissional de TI trabalha no máximo 40 horas por semana (por lei). Ou seja, em menos de três semanas um programador funcionário da Edenred/Ticker poderia ter desenvolvido essa aplicação. Provavelmente uma até melhor do que a minha, já que o cara seria um profissional dedicado em tempo integral a isso. OK, vamos dar um desconto e dizer que ele faria isso apenas parte do tempo, mas em 2 meses daria pra fazer algo muito bom. Pois bem, minha app teve exatos 50 dias de vida, e ficou exatamente 36 dias no Google Play. Tempo suficiente para a Edenred ter disponibilizado uma aplicação própria. A propósito, já existem aplicações da própria Edenred França, Espanha e China. Oficiais. O que falta pra Edenred Brasil fazer isso? Não bastaria copiar o código e fazer algumas modificações?

Acho que estou sendo um pouco egocêntrico. Até onde eu saiba, eu não fui o primeiro a desenvolver esse tipo de aplicação. Várias pessoas comentaram e me enviaram emails agradecendo pela minha app pois elas já haviam utilizado outras aplicações antes, mas todas as outras também foram removidas e param de funcionar. Pelos relatos (que eu recebi), aparentemente foram 3 ou 4 aplicações diferentes, eu só não sei a quanto tempo atrás (pesquisando no Google, já haviam aplicações para isso desde 2010). A propósito, antes que eu esqueça, algumas semanas depois que eu publiquei a minha app apareceu uma outra que fazia a mesma coisa. Alguns dias depois que a minh app foi removida, a outra também foi. E por último, se é política da Edenred França não permitir esse tipo de app, porque existem apps da Espanha, Portugal e Croácia que estão no ar há muito mais tempo que a minha?

Acho melhor parar por aqui. Não quero prejudicar ninguém.

Pois é, eu não sou desenvolvedor profissional. Fiz a app em minhas horas de folga, nas noites depois do trabalho e nos fins de semana. Fiz por que gosto de programar, faço isso por hobby, e decidi fazer algo que fosse útil para as outras pessoas. Infelizmente me tiraram algo que eu fazia com prazer, e para o qual eu tinha grandes planos. Várias pessoas entraram em contato comigo pedindo melhorias, sugerindo novos recursos, e estava tudo sendo preparado, mas agora está tudo encalhado. No fim eu fui o maior prejudicado disso tudo, pois o Google tem uma política de suspender a publicação de aplicações por parte de desenvolvedores infratores. Até onde eu entendi é a política do “three strikes, out“: três infrações, e você está fora. Strike one.

Os usuários da aplicação também foram extremamente prejudicados. Eu conversei com pessoas que utilizavam a aplicação para fazer a consulta antes de sair pra almoçar, e usavam isso como base para decidir onde elas iriam. Isso significa que a aplicação ajudava elas a tomarem decisões bem pensadas, mais informadas, e usar os recursos da melhor forma. Ou seja, isso estava sendo benéfico para os próprios usuários do Ticket.

Falando em usuários, no dia em que a app foi removida, mais de 10 mil pessoas já haviam feito o download, e 95% das avaliações eram 5 estrelas (o máximo permitido).

Eu gostaria de agradecer a todos os que fizeram o download, e que direta ou indiretamente contribuíram para as melhorias da mesma. Toda ajuda que recebi, e todos os comentários positivos, e até principalmente os negativos, me deram um grande gás pra tocar esse projeto, e fazer sempre o melhor.

Como falei no começo, ainda não desisti. Continuo insistindo com a Edenred para tentar encontrar um meio termo, algo que agrade a ambos. Mas até lá, vou evitar transtornos e não vou mais mexer na aplicação. O código fonte está lá, livre para quem quiser mexer e fazer outra. Se alguém decidir fazer isso, só peço que me comunique, pois eu gostaria de acompanhar o desenvolvimento (e talvez até mesmo ser usuário).

Voltem aqui algum dia, quem sabe teremos novidades (espero). Enquanto isso, comentem aqui em baixo. Digam o que acharam da aplicação e o que acham dessa situação.

Um abraço a todos! E nos vemos por aí!

Anúncios

Written by netmask

agosto 20, 2013 at 19:52

Publicado em Uncategorized

Tagged with , , ,

Eu, o Facebook e o Twitter

with 2 comments

Em um passado negro da minha vida já tive Orkut. Um dia conheci o Facebook, me inscrevi e fiquei nos dois. Depois cometi orkuticídio e fiquei só no Facebook.

Daí veio um tal de Twitter, febre mundial. Quem não tivesse Twitter não era nada. Fui lá, encarei o negócio, e comecei a usar fervorosamente através de qualquer dispositivo que eu tivesse disponível (desktop, laptop, celular, e os cambaus). O Facebook ficou abandonado às traças.

Depois não sei que bicho me mordeu, voltei a usar Facebook. FB pra lá, FB pra cá, esqueci do Twitter.

Agora, repensando em tudo isso, começo a pensar em twitticício. O Twitter é legal pra mensagens rápidas, mas é não é uma experiência “completa”. Sempre parece que falta alguma coisa. O Facebook cobre as lacunas de multimídia, interatividade, e integração. O Twitter é one way, você manda mensagem e lê a dos outros, mas relacionar o seu comentário ao comentário de alguém, principalmente se você não conhece esse alguém, é simplesmente um parto. Isso te faz perder um monte de conversas interessantes ou não, mas no mínimo te faz perder a interatividade com “os amigos dos amigos”.

E qual o objetivo desse post aqui no meu blog? Nenhum específico. Eu só estava pensando nesse assunto, e resolvi escrever, compartilhar meu ponto de vista, e explicar porque ando sumido do Twitter.

Alguém pensa parecido?

Written by netmask

maio 18, 2011 at 20:15

MeeGo / Qt – Alive and Kicking

with one comment

(…)
“What’s going on around MeeGo now? Nokia goes for MicroSoft, and Intel does what? Signals are fairly mixed for all of us working on MeeGo, and even more for the people following the development from the distance. ”
(…)
“The arguments about MeeGo being not mature are not true, these things are all over already. All pieces are in place, and the integrated next release of MeeGo 1.2. will give very solid basis for the products now.”
(…)
“To summarize, MeeGo and Qt are strongly alive, gaining momentum to move to the next phase.”

Read the full blog post.

Written by netmask

fevereiro 24, 2011 at 23:31

Publicado em Uncategorized

Tagged with , ,

Symbian kernel open source

leave a comment »

Great news! Symbian kernel is now open source! I know it’s old new already (since Oct/21), but whatever. The important thing is that once again a closed source product shows it’s real face. Now we just need to wait for the development boom around it.

Written by netmask

novembro 7, 2009 at 22:43

Publicado em anything

Tagged with , , , ,

Twitter é para preguiçosos

leave a comment »

Sim, sim. É verdade o que falam. Twitter é coisa para preguiçosos. Depois que você começa a “tuitar” você começa a ficar muito preguiçoso pra escrever um post decente no seu velho blog companheiro de guerra.

Sinceramente isso está começando a me incomodar. Vamos ver se o incômodo se transforma em motivação. 🙂

Written by netmask

outubro 27, 2009 at 09:52

Publicado em anything

Tagged with , , , ,

Trapster – Speed Trap Sharing System

with one comment

Ontem à noite resolvi turbinar meu E71 com coisinhas legais da Ovi Store, e me deparei com esse pequeno software, o Trapster. A idéia é muito boa, e o primeiro teste foi positivo.

O Trapster é um software que roda no seu celular ou no seu GPS convencional. Ele usa o GPS para mapear sua localização (não faz triangulação de célula), e consulta um banco de dados online para mostrar no mapa os pontos onde há radares de velocidade, radares de semáforo, policiais escondidos, etc. A informação é dada via voz, ou seja, você não precisa ficar olhando pro aparelho o tempo todo, basta olhar quando a voz soar pra você saber exatamente onde fica.

A parte mais interessante é que ele funciona estilo comunidade. Os usuários é quem informam as localizações dos radares, e outros usuários podem confirmar ou desmentir a informação. Isso alimenta uma base de confiabilidade, e quando um determinado ponto é muito “negativado” ele sai do sistema.

A pior parte é que ele usa mapas da Microsoft, que são imprecisos e tem um visual muito pobre. Seria muito melhor se usasse o Google.

Bom, fica aí a recomendação. Eu estou em São Paulo, e testei na Zona Sul. Se você testou em outra cidade ou outro estado, dê suas impressões aí nos comentários. 🙂

Written by netmask

outubro 9, 2009 at 09:10

Publicado em anything

Tagged with , , , ,

O jogo continua virando

leave a comment »

Saiu na Under Linux:

(…)

O mercado é como uma equação fechada. Isso quer dizer que o dinheiro não some. Se está saindo de empresas com um modelo de negócios antiquado e falido, está indo para empresas inovadoras com padrões de desenvolvimento e comercialização mais abertos e maiores possibilidades de crescimento.

(…)

A Red Hat, no último trimestre (que terminou no dia 31 de agosto de 2009), reportou um aumento de capital e renovação de contratos acima do esperado. De acordo com a empresa, cada ação atualmente está valendo 20 centavos de dólar. Isso significa que essas ações estão valendo 30% mais que no mesmo período de 2008!

(…)

O caso da Novell é interessante pois esta empresa atua nos dois ramos simultaneamente: software livre e software proprietário. A empresa recentemente anunciou um quadrimestre muito pobre em relação ao ano passado. Exceto pelas suas linhas de negócio envolvendo Linux, que tiveram um aumento de 22%!

(…)

A Microsoft, por exemplo, teve um declínio de 17%, e o lucro líquido caiu 29% em 2009 devido a queda crescente nas vendas de PCs e servidores embarcados com Windows. Claro que ela ainda continua ganhando bilhões de dólares todos os anos, mas ter uma perda de 17%, em cima de bilhões de dólares, é muito dinheiro ‘jogado fora’.

(…)

Mas analistas afirmam que, caso a Oracle não tivesse feito essa aquisição, a Sun estaria atualmente no alto do telhado pensando seriamente em pular. De acordo com uma recente análise do IDC, no segundo trimestre desse ano a Sun teve uma perda de 37% na venda de servidores, que equivalem a inexorável quantia de US$981 milhões.

(…)

Não vou fazer nenhum comentário. Só vou sugerir que vocês leiam a matéria completa.

Written by netmask

setembro 25, 2009 at 09:36

Publicado em anything

Tagged with , , , , , , ,